quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Minha vida de volta

A dor no pescoço passou. Duas sessões de massoterapia oriental não resolveram a dor que sentia sempre que mexia o pescoço. Minha mãe e meus amigos falavam "é tensão por causa desse festival", mas eu achava que já era um sinal da decrepitude se aproximando e me pedindo para adotar um daqueles colchões duros que tornam infeliz uma noite de sono. Tomei um relaxante muscular tentando expulsar a dor e nada da safadinha se mandar. Depois dos três dias de festival, acordo numa bela e endividada segunda-feira, mexo o pescoço, dou uma cambalhota na cama e sigo feliz para o banho: a dor se foi!

As pálpebras pesam nesse momento tanto quanto as costas que carregam uma dívida de um dos melhores festivais do ano. Não tenho receio de dizer, o III Festival Se Rasgum foi como m filho que cresceu, se formou e ingressou numa bela carreira. É isso que eu, Gustavo, Marcel, Randy, Rafael e Renée sentimos depois de tantos dias enlouquecidos com a idéia de que trabalharíamos em cima de evento sem dinheiro. Há um mês, achava que esse festival – que já estava anunciado - não sairia. Já visualizava o declínio de nossas carreiras de produtores.

Mas então o festival aconteceu exatamente da maneira que esperávamos, vendo todos os shows, horários e produções dando certo – exceto a previsão de bilheteria. Ter Tom Bloch e Wado em casa era uma vontade antiga; ter Plebe Rude e Autoramas era um grito de amor ao rock; ter Maluquinho e carimbó era abrir o leque para a música criativa que esta na nossa fuça; e ter Shout Out Louds só comprovava que nossa intenção não é apenas colocar uma banda gringa, mas uma gringa muito boa. E não só o festival deu certo como nossa equipe se mostrou, com o passar dos anos, mais eficiente e tranqüila para um festival como esse.

Ainda teve a polêmica boba a respeito das minhas declarações na revista Rolling Stone sobre a Associação Brasileira de Festivais Independentes (se quiser ler é aqui) que me esquentaram a cabeça com cobranças de gente ofendida com a matéria.

Minhas pálpebras caindo, os olhos de sono e à espera do próximo Se Rasgum. Quero minha vida de volta por enquanto.

5 comentários:

O Pirata disse...

E a luta continua companheiro!

O Pirata disse...

Ah, tem fotos em http://www.flickr.com/photos/iurifernandes/sets/72157607445477494/

Luize disse...

Hum!!! Tem registros do festival? Quero ver!!!
Antemão, parabéns pelo festival! ;)

:*

. disse...

Parabéns é pouco pra vcs!
Fazer o que fizeram com a grana existente...

"Dá orgulho de ver", como diria minha avó.

Tudo perfeito!!!!

Oportunidades Belém disse...

o festival foi maravilhoso. parabéns, Damaso e cia.!