sexta-feira, 15 de abril de 2011

You may be a lover but you ain't no dancer


 
Hoje, os trajes de frio já estão menos pesados e os garotos jogam basquete no pátio da escola, em Berlim. Assisto a tudo de camarote no apartamento que estou hospedado. As meninas - como em qualquer lugar do mundo em que homens e mulheres se desejam na adolescência - se sentam juntas para, entre outras coisas, falar dos meninos. Duas ou três delas se juntam aos garotos para uma despretensiosa partida. São essas meninas que mais tarde dizem que colecionam mais amizades com homens do que mulheres porque, quando eram adolescentes, “jogavam bola com os meninos” e eram assim “meio molecas”.



Quando os meninos erram o aro, as meninas que estão sentadas aplaudem. Essa guerra do sexo é a melhor das guerras. A única que importa. E na cidade que colhe ainda, a cada esquina, lembranças de um episódio tão recente na história da humanidade. Para eles pode não ser a melhor partida, a que os faz ter que jogar melhor. Mas é a que se exibem mais e que abri sorrisos bobocas no rosto.

Esse deve ser o momento de diversão deles. Não parece uma aula de educação física porque estão muito a vontade. Eles deixaram o pátio e depois garotos e garotas um pouco mais velhos chegaram para cuidar do jardim.

O pátio agora esvaziou, mas de vez em quando vejo passar um ou outro garoto com um instrumento musical embaixo do braço. E é nessas horas que eu lembro que esta escola secundária em Berlim se chama John Lennon.

3 comentários:

Luly Mendonça disse...

do caralho. E "eu era meio moleque e andava com os meninos" é ótimo! hahahaha toda mulher que tenta parecer a escrotona fala isso.

Sergio disse...

Se tivesse estudado numa escola chamada John Lennon, acho que hoje em dia eu estaria nadando pelado no rio Ganges, só desviando dos corpitchos em chamas.

Que liga, amigão! Bom, pelo menos eu não estudei no John Kenndy, que era do lado de casa.

Marcelo Damaso disse...

E seria demais ter aula particular no Mark Chapman, heim? Melhor que da Tracy Chapman.